segunda-feira, fevereiro 28, 2011


Dieta Coletiva - 9º semana

3
12 Dicas para acabar com o EFEITO SANFONA

Para romper esse ciclo é preciso tomar quatro cuidados essenciais: seguir uma alimentação equilibrada, consumir menos calorias do que gasta diariamente, praticar atividade física pelo menos três vezes por semana por, no mínimo, 30 minutos e não emagrecer rápido demais – é consenso entre os especialistas que a redução não deve ser maior do que um quilo por semana e que é preciso manter o ponteiro da balança estacionado por dois anos consecutivos. “Só dessa forma o organismo passa a acreditar que esse é o seu novo corpo e começa a trabalhar para não ultrapassar essa margem”, completa a médica Silvia Bretz. Para garantir que esse plano dê certo e o efeito sanfona fique no passado, coloque em prática estas dicas:
1) Opte por alimentos volumosos e magros
“Eles ocupam boa parte do estômago dando a sensação de saciedade sem extrapolar no valor energético”, explica a mestre em nutrição Cynthia Antonaccio, de São Paulo. Além da salada de verduras, vale acrescentar legumes crus ralados à massa e folhas inteiras de repolho ao picadinho e preparar o arroz trocando 50% dos grãos por couve-flor.
2) Siga a “regra do 1″
Quando alguém oferecer bala, doce, biscoito ou qualquer outra guloseima, limite-se a aceitar uma única unidade para matar a vontade sem engordar.
3) Tome uma porção de gaspacho antes do almoço
Segundo pesquisa da professora de nutrição Barbara Rolls, da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, a sopa fria à base de verduras, tomate e pepino ou qualquer outro caldo ralo sacia e evita o consumo até 100 calorias na refeição.
4) Beba chás emagrecedores
O mais famoso deles é o verde, mas também vale o branco e o vermelho. “Para ter resultado é preciso tomar diariamente uma xícara em jejum e mais duas 20 minutos antes do almoço e do jantar”, avisa a nutricionista Marilize Tamanini, de Curitiba (PR). E atenção ao preparo: use uma colher de sopa da erva escolhida para cada litro de água e deixe na infusão por um minuto. Vale lembrar que a receita é contraindicada para quem tem problemas no fígado ou sensibilidade à cafeína, hipertensos não controlados, gestantes e lactantes.
5) Aposte em pratos difíceis de mastigar
A estratégia é dar tempo para o cérebro liberar a mensagem de que está saciado, o que acontece 20 minutos depois da primeira garfada. Na prática, troque o purê pela batata inteira, refogue rapidamente a escarola e a couve, bata o iogurte com gelo no liquidificador e prefira macarrão parafuso em vez de espaguete.
6) Coma a cada três horas
“Fracionar as refeições é o melhor moderador de apetite que existe, além de estimular o funcionamento do intestino e manter o metabolismo acelerado”, afirma a nutricionista Marilize Tamanini.
7) Capriche nos líquidos
É muito comum confundir sede com fome. “Manter a garrafinha de água sempre à mão ajuda até a combater o vício de abrir e fechar a geladeira várias vezes ao dia”, garante a nutricionista Cynthia Antonaccio. Quem não gosta de água por achar insossa, pode acrescentar na jarra rodelas de limão ou laranja, dois pedaços de canela em pau ou um ramo de hortelã.
8) Reduza os extras na lanchonete
Isso significa cortar a calda adicional do sorvete e o segundo hambúrguer no sanduíche, por exemplo, que chegam a aumentar em 1/3 o valor calórico do pedido.
9) Cuidado com os pequenos vilões
Consumir balas, chicletes e outros doces para enganar a fome pode ser perigoso. Para tirar a prova, deixe sobre a mesa do trabalho a embalagem das guloseimas consumidas e repare na quantidade de papéis no fim do dia.
10) Desligue o iPod
O aparelho, assim como a televisão, desvia a atenção da comida e a pessoa só se dá conta de que comeu tudo ao bater o garfo no fundo do prato vazio. Essa prática pode levar à ingestão de até 100 calorias a mais do que o habitual, concluiu um estudo da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos.
11) Fique com os destilados na happy hour
“Esse tipo de bebida faz com que a pessoa consuma mais pausadamente, ao contrário do que acontece com o chope e a cerveja, ajudando a economizar muitas calorias”, destaca Cynthia Antonaccio. Para acompanhar, peça uma fonte de proteína, como iscas de filé ou frango, em vez de carboidratos e gordura, como pão ou berinjela e tomate seco mergulhados no azeite.
12) No restaurante, atente para o preparo do prato
Isso vale principalmente no japonês, que é considerado light. Para se ter uma ideia, cada sushi pequeno é feito com uma colher cheia de arroz – e quem é que consegue ficar só em uma porção de oito unidades?
Minha semana foi básica..segui todas as minhas metas direitinho!!!
  • Leite desnatado;
  • Açúcar orgânico;
  • Água a vontade;
  • Dieta magra;

Tem novo sorteio aqui no bloguito..espia só....
Para participar é só clicar AQUI
***Beijos, saúde e sucesso***

3 comentários: